terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Primeira Maratona....Balanço Final!


Foram seis meses de convívio estreito com todos vocês leitores desse Blog.
Correr a primeira maratona, era a meta. Uma vez a meta atingida, fica, alem do orgulho pela conquista, a experiência na elaboração do projeto, na preparação física e mental e, claro, no seu atingimento.
O Blog ajudou muito na reflexão pessoal e na melhoria do desempenho, uma vez que a cada registro era a ocasião para visualisar o desafio e estabelecer uma nova meta.
Importante assinalar que o processo não se encerra uma vez a meta é atingida, ele prossegue com a busca do objetivo maior, que é aquilo que está em nosso propósito de vida. Cada meta de percurso, como correr uma maratona, se insere em um projeto maior, que é o de cumprir sua missão. Tudo que contribuir para o cumprimento desse propósito, tende a ser atraído por uma força invisível, que dirige nossos destinos, à exemplo dos mensageiors da "boa nova" dos missionários católicos, sem qua haja aqui qualquer carimbo religioso, nós, seres humanos, somos investidos de uma missão que nos distingue dos outros seres vivos.
A razão e, com ela o livre arbítrio, fazem de nós esponsáveis únicos pelos nossos destinos - "Não depende de nós que tudo dependa de nós" (M. Serres).
Somos portanto, os únicos esponsáveis pelas nossas escolhas, o que torna imperativo a definição de onde queremos chegar. "Não existem bons ventos para o barco que não tem um porto de destino".
Definido esse porto, todo vento, por menor que seja, tende a contribuir para fazer com que se chegue o mais rápido e o mais seguro possível ao destino.
2010 será o ano da confirmação. Sem exageros e sem arrogância: apenas duas meias e duas maratona completas, para todo o ano de 2010.
-Os 25km dentro da Maratona Internacional de São Paulo, prevista para 2 de maio;
-A meia maratona do Rio de Janeiro, 22 de agosto;
-A 2a. Maratona de Punta del Este, 5 de setembro; e
-A Maratona Internacional de Curitiba, em novembro.
Neste momento me limito trabalhar os fundamentos: adequação do peso(perda), alimentação, etc. para poder estar em condições de reiniciar os treinos logo em janeiro, ainda que o primeiro compromisso seja somente em maio.
Este Blog vai assim se encerrando.
Breve teremos outro, com novos desafios e mais experiências, dentro de alguns dias informo o novo link.
Este é o momento para agradecer a todos que contribuiram, seja lendo, seja comentando ou simplesmente fazendo uma visita.
E que 2010 possa ser o melhor ano de suas Vidas!

W. Avila
Coach de Vida e de Carreira
http://www.i-coaching.com.br/
"Renascer para uma vida melhor"

domingo, 22 de novembro de 2009

Primeira Maratona...o limite da experiência!

>>Clique nas fotos para amplia-las<<
Enquanto houver vida, haverão possibilidades para o manifesto da experiência humana. Diferentemente de outros seres vivos nós, humanos, temos o poder e a capacidade de empurrar os nossos limites, além até mesmo de nossas expectativas. Isto acontece quando dizemos que nos superamos. O que é afinal se superar, por exemplo, em uma corrida? – É ir além do limite imposto pelo corpo. Durante um esforço como uma maratona, penso que apenas os primeiros 10 kms são corridos com o corpo, os outros 30 (e poucos) corre-se com a mente.
Em nosso cotidiano costumamos parar nos 10km e nem sempre fazemos apelo às nossas reservas, que correspondem a ¾ de nossa capacidade de agir, de produzir, de relacionar, de amar.
À imagem da prática esportiva penso que a vida deveria imitar o esporte.

Foram horas intermináveis de muito suor, esforço, sacrifícios, renúncias em estar com as pessoas, renúncias alimentares e nessas poucas (ou muitas) horas, que dura uma maratona, em nossa mente acontece a première do filme de nossa experiência. Tal qual o diretor do filme no festival de cinema, tanto antes quanto durante a projeção, nós corredores, nos vemos, na mais absoluta solidão, um Moisés no alto da montanha, apesar das dezenas de milhares de pessoas, que nos cercam.
Na maratona, o corredor está sempre só. Ator único em cena, que ao invés de monólogo, consegue estabelecer um diálogo. Um diálogo entre mente e corpo. Por vezes acontece da conversa ficar tensa, ríspida, cheia de dúvidas: será que vou conseguir, não vai quebrar nada? Em segundos um joelho pode travar e lá não há o que fazer, como alguns atletas que durante a corrida vemos saírem, curvados, para a lateral, e lá é comum se observar lágrimas que descem. Para alguns é o fim do Sonho!


O impensável aconteceu: estou chegando! A concentração ainda é absoluta, enquanto os pés não ultrapassam a linha. São instantes de êxtase onde os pensamentos, fusionam para constituir uma prece ao seu Ser Superior, como faziam, no passado, aqueles que se imolavam aos deuses pagãos.

Ombros curvados, olhar abaixado, humilde, em agradecimento ao elemento terra que nos sustentou até o fim.



Utilizados os 100% do corpo e os 100% da mente, (quando sabemos que um metro a mais poderia colocar em risco o nosso projeto) eis que transpomos a linha de chegada. Levantar os braços constitui um gesto quase heróico e o sorriso nos lábios é extremamente discreto: um misto de alegria e desafio, afinal precisou da vitória da mente sobre o corpo sem, no entanto, querer fazer disso uma desforra, uma vez que quem cruzou a linha de chegada foi o corpo.
O sorriso, ainda que discreto, resulta do prazer da superação. Tudo dói, mas o sonho virou realidade!
Renascer para uma vida melhor

domingo, 15 de novembro de 2009

Primeira Maratona - só para os meus melhores leitores: VOCÊ!




“Se você me fala, eu esqueço, se você me mostra eu entendo, se você me envolve eu aprendo.”


“Experienciar” é a única garantia de aprendizado de algo. No esporte, não parece ser diferente. Antes de ir para a minha primeira maratona já havia lido muita coisa a respeito da preparação e dos cuidados necessários, além das recomendações de amigos, corredores e maratonistas. No entanto percebo que acabei cometendo muitos dos equívocos, os mais elementares. Desinteresse? Falta de atenção? Nada disso: penso que no fundo nós só fazemos realmente nosso, aquilo que experimentamos. A experiência de cada um é individual, única e exclusiva porque antes de se tornar a nossa realidade ela passa por todos os filtros (crenças, valores, etc.), tudo aquilo que faz de nós um indivíduo.


Àqueles que, de algum modo, se interessam por corridas se destinam os comentários que farei a seguir. Não são dicas mas experiências pessoais que, na melhor das hipóteses irá deixá-lo tentado a querer experimentar.


Tudo é importante na preparação de uma corrida. É claro que aquela que exigir mais de nós, tanto física quanto mentalmente, necessitará de uma preparação mais longa e/ou intensa. Correr uma maratona, no meu entender, pode ser considerado um marco, quase um limite para pessoas normais. Ir além já não é para qualquer um, são os “quase semi-deuses”!

Esperei os 60 anos para, me armar de coragem e enfrentar a minha primeira, de muitas outras!
Falava da minha preparação. E a pergunta que surge é: onde pequei? Será que pequei? Penso que o melhor seria dizer: onde aprendi? o que aprendi?.

-Aprendi que a preparação da mente é tão importante (ou mais) que a do físico. Hoje, por exemplo, corri os 10km da 1ª. Virada esportiva de Campinas. Lá pelo km8 me perguntava, como eu pude correr mais de 40kms se para correr estes 10kms eu estou me sentindo quase no limite, sendo que fisicamente não estou muito distante daquele 20 de setembro? Deduzi que para correr 10km era apenas algo físico, os outros 30 e poucos ficavam para a mente cuidar!

-Na véspera de correr a minha maratona, como é de praxe, procurei por um prato de massas. Diante de um belíssimo cenário, às margens do rio Havel, que corta Berlim, pedi uma sopa de massas à bolonhesa. Acho que veio uma “bolonhesa” de massas. Comi e, na madrugada o estômago estava, vamos dizer bem “revolto”. Na próxima vez vou comer um macarrão simplesmente “ao alho e óleo”.

-A organização da maratona pediu para que os atletas chegassem duas horas antes da largada. Cheguei 2h10 antes. Ocorre que meu “café da manhã” acabou sendo muito cedo e frugal para um dispêndio de energia tão grande. Resultado: fiquei com bastante fome na segunda metade da corrida. A banana e a maçã, que ofereceram no km 37, eram tão saborosas que me fizeram lembrar de uma picanha, sangrando, lá do Santa Gertrudes.

-Durante a prova esperava uma temperatura entre 12 e 14 graus, esteve acima de 18. Na segunda metade acabei pegando água em todos os postos. Mesmo assim faltou me hidratar melhor (externamente, jogando água no corpo). Curiosamente achava a água jogada pelos bombeiros muito fria e assim evitei. Medo do frio e outras consquências, apesar de me sentir extremamente aquecido. Sensação estranha!

-Fazer o reconhecimento do trajeto antes. Fiz uma opção: dei preferência a comparecer à feira, a qual aliás não tinha como evitar, uma vez que o kit deveria ser retirado lá e, no dia do reconhecimento, que pretendia fazer de bicicleta, preferi descansar. Repassar mentalmente o percurso, antes, amplia a nossa capacidade de enfrentá-lo, uma vez que elimina a possibilidade de estresse resultante de possíveis surpresas. No caso de Berlim a situação não é tão séria porque praticamente não existem subidas ou trechos mais complicados, mas de qualquer modo, saber o que virá pela frente é um fator que ajuda muito na motivação e na dosagem do esforço.

-A técnica da visualização. Após certa quilometragem, a dosagem do esforço empregado depende às vezes de detalhes tão pequenos e por isso mesmo não lhes damos a devida atenção. A visualização consiste em imaginar algo positivo, motivador, que possa acontecer como resultante de nosso esforço,: transpor a linha de chegada, receber o incentivo de alguém importante para nós ou mesmo nos ver no momento logo após a chegada repassando todo o percurso da preparação.

São inúmeras as possibilidades. O resultado é quase sempre uma nova onda de energia que percorre o nosso corpo, neutralizando dores, cansaço e outros desconfortos. Esta técnica se treina antes.

Tudo que mencionei eu já sabia antes, nada era novidade, mas precisei passar pela experiência negativa (negativa?) para entender a importância de me atentar para cada detalhe e assim fazer com que tudo, por mais insignificante que fosse, viesse contribuir a meu favor.

Não obstante, a Minha Primeira Maratona foi concluída, com uma ENORME satisfação e apesar das 5h31m, sempre correndo (em nenhum momento caminhando), quando me senti parte dessa grandiosa festa do esporte mundial (Berlim é uma das cinco maiores maratonas do mundo) a Maratona de Berlim, em sua 36ª. edição, no ano em que os berlinenses e todos nós, povos livres, comemoramos o aniversário de 20 anos da Queda do Muro de Berlim.

Agora, com a distância, no tempo e no espaço, ao me recordar do momento de transpor o Portal de Brandenbourg (Brandenburger Tor), logo após os 42km corridos, posso afirmar que me sinto muito orgulhoso por fazer um pouco parte da nossa história recente. História que sempre foi repleta de sacrifícios e de luta, na busca da liberdade.
Coisas do esporte!
W. Avila

Renascer para uma vida melhor
http://www.i-coaching.com.br/

domingo, 1 de novembro de 2009

Contagem visitas


Contador Grátis

Maratona de Berlim e,...fim!....Fim?




Vamos dizer” fim de um ciclo”. Mas antes de fechar (o ciclo) é importante fazer o balanço, tirar as conclusões, os aprendizados e agradecer as pessoas, sem as quais nenhum projeto pode ir avante. No meu caso foram muitas, vou me abster de citá-las para não correr o risco de esquecer alguém. Todos os que me acompanharam, de longe ou de perto, nesta empreitada, que fizeram ou que me permitiram que fizesse, saberão que neles que penso, neste instante.
Para todo projeto, existe um momento em que precisamos prever e avaliar os recursos. Em um sentido mais amplo, pessoas fazem parte desses recursos, são os “recursos humanos”, sem jogo de palavras. As vivências mais intensas costumam ser nos momentos em que encontramos essas pessoas.
Obrigado, portanto a todas e a todos.
“Fim de um ciclo” significa que podem existir outros ciclos. Ciclos com novos objetivos, novas etapas, novos recursos e até mesmo um novo blog! Porque não? Por enquanto está no rascunho e poderia ser: Berlim 2011 – objetivo 4h40! E se for mais a longo prazo, poderia ser o primeiro lugar da categoria em...2019!
Depois que descobri (recente) que “tenho toda a vida à minha frente” ficou bem mais fácil planejar!
Quando se quer algo, com absoluta clareza, alcançá-lo é apenas uma questão de tempo.

"Twenty years from now you will be more disappointed by the things that you didn't do than by the ones you did do. So throw off the bowlines. Sail away from the safe harbor. Catch the trade winds in your sails. Explore. Dream. Discover." -- Mark Twain *
(Daqui vinte anos você poderá se arrepender
Muito mais por aquilo que deixou de fazer, de que por aquilo que fez.
Solte as amarras. Veleje por lugares bem longe dos portos. Aproveite, ao máximo, toda a força dos ventos alísios em suas velas.
Explore. Sonhe. Descubra.”)
Renascer para uma vida melhor
WWW.i-coaching.com.br

Maratona de Berlim....Cetificado

Destaques - classificação geral: 26981 entre 40000 corredores(dos quais em torno de 36 mil concluiram); velocidade média: 07 minutos e 50 por km ( a previsão era de 7:30).
Avila Neto, Wenceslau (BRA)
Platz / Overall: 26981 Platz / Overall: 710 (in Altersklasse / Agegroup: M60)
Nettozeit / chiptotal: Bruttozeit / clocktotal: Halb 1 / First half: Halb 2 / Second half: Zeit pro km / Time per km: Geschwindigkeit / Speed:
05:31:10 05:32:24 02:25:52 03:05:18 07:50 7.64 km/h33352
Tempos parciais
5 km: 00:33:51
10 km: 01:08:15
15 km: 01:43:10
20 km: 02:18:00
25 km: 02:56:13
30 km: 03:38:39
35 km: 04:24:12
40 km: 05:10:51

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Primeira Maratona................- A imitação da Vida?








Houve um tempo, no passado, em que afirmava que”viajar é muito bom, mas voltar é melhor ainda”, hoje não seria tão radical. Talvez completasse a frase dizendo apenas que “voltar é muito bom, também”. Isto, mesmo após os 33 dias, dessa que foi a minha segunda mais longa estadia, fora.




O grande amigo, ultra-performante e ultra-maratonista, Alberto Peixoto, escreveu “a maratona (ou a corrida) imita a vida”, se não for essa a frase exata, a idéia é. Correr a primeira maratona foi apenas uma das 3 razões para empreender essa viagem ao coração do velho continente.




Além de Berlim com seu passado recente, carregado de história, foi possível conhecer Praga, um museu a céu aberto ou ainda Colônia, de onde veio um dos mais antigos perfumes, o ”4711”, também conhecido, como Água de Colônia, primo-irmão do “Leite de Colônia” de nossas avós, graças a acolhida generosa em sua cidade (Leverkusen) do amigo Fritz, companheiro de muitas outras trilhas em Ilhabela. A descida do Reno, de Rüdesheim (Frankfurt) até Colônia, foi uma viagem a um passado de lutas intermináveis, séculos a fio, entre os vizinhos brigões, franceses e alemães.




Depois foi a vez de sermos recebidos, pela primeira vez (o segundo objetivo de nossa viagem), na casa de nossa filha (pais corujas têm dessas coisas) naquela que chamarei de “cidade-presépio”: tudo perto, charmoso e aconchegante – uma perfeição - estou falando de Breda, na Holanda. Lembram-se do Mauricio de Nassau? Correr no parque central de Breda foi um enorme prazer, mesmo com 6 graus de temperatura.




Antes estivemos em Amsterdam, a capital mais liberal da Comunidade Européia, com suas dezenas de canais e a quantidade inimaginável de bicicletas – consegue imaginar uma garagem de 4 andares, reservada exclusivamente para o estacionamento de bicicletas?
Depois foi a vez de Antuérpia, onde ainda existem muito ouro e pedras preciosas que vieram das colônias(e do Brasil!) e, claro Bruges (maior concentração de atrativos por m2?). As inúmeras guerras nessa região(Waterloo), por mais de um milênio, não afetaram a maioria dos monumentos e verdadeiras obras de arte da arquitetura, desde a idade média. Bruxelas, além de grande metrópole (capital européia) possui um passado glorioso e rico, graças ao talento e ao empreendedorismo de seus filhos, ao longo da historia.




E finalmente o norte da França até o Mont-Saint Michel, um santuário na Bretanha – um rochedo-fortaleza, que por mais de 20 séculos foi palco de todo tipo de ação humana, das mais nobres até as mais cruéis como deixar os prisioneiros sem alimentos até a inanição, em suas masmorras.




Visitar o local do desembarque dos aliados da Segunda Grande Guerra na Normandia (Sainte Mère-Église) foi um momento forte, uma vez que nos permitiu vivenciar com muita intensidade o clima atroz das lutas que custaram dezenas de milhares de vidas, somente nessa região, para garantir a liberdade da qual todo o mundo ocidental desfruta ainda hoje – a vitoria sobre o totalitarismo. Filmes como “O mais longo dos dias” ou o “Dia D” (links no final)contam a historia desse evento crucial para a humanidade.




Para terminar (o terceiro objetivo da viagem) nos dirigimos para Louvain (cidade universitária medieval, no coração da Bélgica) convidados, que fomos, para o casamento do filho de um amigo argentino, de longa data. Perto de 200 convidados e exatas vinte nacionalidades diferentes!. Louvain é uma outra “jóia”, como Breda: monumentos,cafés, ruas charmosos e acolhedores. Foi muito prazeroso, na manhã do domingo, 17, correr pelos 10kms de seu anel viário!




Tudo isso é a história, a nossa história revisitada graças a oportunidade de se correr uma maratona!

Mais detalhes estão nos links do Google, a seguir:
Praga:
http://www.imagensviagens.com/praga.htm
Berlim:
http://www.eujafui.com.br/2950159-berlim/
Bruges-Belgica:
http://vidaeestilo.terra.com.br/turismo/galerias/0,,OI106493-EI14045,00.html
Bruxelas:
http://www.manualdoturista.com.br/detalhes5.ASP?pesquisa=1143
Monte Saint-Michel:
http://www.manualdoturista.com.br/detalhes5.ASP?pesquisa=1143
Breda:
http://www.mochileiros.com/breda-perguntas-e-respostas-t30227.html
http://educacao.uol.com.br/biografias/ult1789u651.jhtm

Louvain ou Leuven:
http://www.viagensevideos.com/PDF/Belgica03-03-08parte02.pdf
Colonia:
http://www.tripadvisor.com.br/Tourism-g187371-Cologne_North_Rhine_Westphalia-Vacations.html

Filmes:
O dia D:
http://www.filmesdecinema.com.br/filme-o-dia-d-1445/#
O mais longo dos dias:
http://www.65anosdecinema.pro.br/O_mais_longo_dos_dias.htm
Anne Franck:
http://bemcapaz.net/2009/10/05/unico-filme-de-anne-frank-ainda-viva-cai-no-youtube/
http://www.cineplayers.com/filme.php?id=1353




Renascer para uma vida melhor








Coaching de Vida e de Carreira:
http://www.i-coaching.com.br/

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Primeira Maratona....Reflexões


Como já afirmei anteriormente, não é meu objetivo aqui, dar sugestão sobre produtos e/ou dicas sobre corridas. Existem inúmeros blogs e sites que tratam disso com muita competência. Aqui falo de vivências...
Fosse o “concluir uma maratona” meu único intuito, é muito provável que estivesse um pouco desapontado, neste momento. No entanto há algum tempo, aprendi a curtir o percurso e não apenas a chegada, vivenciar a experiência do processo sem a preocupação com o resultado! O resultado é a cereja do bolo, uma conseqüência.
As experiências desses últimos meses, que atingiram o seu clímax na linha de chegada, poucos metros após a passagem pelo Portal de Brandenbug*, constituem, hoje, peça inseparável da história pessoal. Não fosse assim, como explicar tamanho envolvimento e dedicação por algo que acaba sendo tão penoso, difícil e oneroso?
-“Porque o homem escala uma montanha?”, perguntou o sherpa ao sábio do vilarejo. –
-Porque ela está lá” - foi a resposta.
Porque dedicamos tantas horas, tanto suor, suportamos frio, chuva, dores musculares, renunciamos a tantos prazeres alimentares? Talvez seja algo que nós, corredores, não estamos muito interessados em conhecer e menos ainda em tentar explicar.
Toda corrida tem, um “antes” e um “depois”. Assim como uma viagem “não termina na alfândega do aeroporto de chegada” (Quando viajar não é partir” Avila Neto -2000) uma corrida não acaba na linha de chegada, ela tem também a sua historia, mais ou menos longa, de acordo com o que ela venha a representar para cada corredor. Um primeira maratona” a gente nunca esquece”. Longe portanto do desapontamento: além do currículo, literalmente falando, é uma vivência pessoal, intensa (faz parte do DNA).
A maratona, conhecida como a prova “rainha dos Jogos Olímpicos”, tem esse nome em homenagem ao mensageiro que trouxe a boa nova da vitoria dos gregos sobre os persas (500 anos antes de Cristo), e que para cumprir a sua missão ele correu por 40kms, desde a cidade de Maratona** até Atenas.
Breda - Holanda, 6/10/2009

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Minha Primeira Maratona.....Feedbacks

Alguns equivocos, tropecos antes da corrida. Talvez fosse melhor classificar tudo isso de feedbacks ou melhor ainda de experiencia, uma vez que esses "erros" servirao como aprendizado para outras corridas.

Cuidados gerais
Sabia que precisaria correr pelo menos umas duas vezes antes da prova, em torno de meia hora por dia. Verifiquei que haviam lugares excelentes(parques) proximo do hotel. Fantastico. Temperaturas amenas me fizeram esquecer de verificar a janela do quarto, a noite e com isso depois de duas noites estava com um resfriado instalado.
Treinos suspensos e concentracao na alimentacao e repouso. Foi o que fiz.

Alimentacao
Esse eh um ponto chave e ao qual nao damos a devida atencao. A regra geral eh: faca ingestao de carbohidratos, portanto massa. Ok, uma sopa a base de massa quebraria o galho, soh nao previa que ela teria tanto molho vermelho. Resultado o intestino se soltou um pouco. Meu cafeh da manha, levando-se enm conta a hora em que me levantei(ver abaixo) foi muito frugal. Aquelas macas e bananas que apareceram mais no final da prova vieram em bonissima hora. Jah quanto a agua posso dizer que cuidei com maestria pois procurei me hidradar bem nos dias que antecederam o evento. Por outro lado ingeri muita fruta que aqui sao de excelente qualidade e precos comparaveis aos do Brasil, alem da variedade enorme.

Repouso
Seria impensavel, pra aproveitar o tempo, querer conhecer Berlim inteira. Soh me permitit ir a feira da Maratona (muito boa) na sexta feira anterior e no sabado me contentei em caminhar um pouco no bairro Spandau. Em compensacao a noite anterior a prova praticamente nao dormi: toda ansiedade que nao havia sentido ateh entao parece querer se manifestar agora. Acordei de 30 em 30 minutos e as 4 horas da manha me levantei, tomei cafeh e fui para o Tiergarten, chegando 2 horas e 10 minutos antes da largada.

Apesar de tudo isso ou com tudo isso consegui atingir o meu objetivo que era de chegar. Nao tivessem havido esses equivocos provavelmente teria gasto menos tempo, mas isto nao era importante no momento.
Praga - Rep. Checa 1.10.09
Abaixo um link pra ver (de longe) uma foto.
http://www.marathonfoto.com/order_packages.cfm?OID=05912009M1&CustomerNumber=W07Y50&BFI=972osg4b3g&DTS=MjAwOTEwMDEwODAwMjc=&Currency=EUR&Language=EN&PictureInfo=64901694

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Minha Primeira Maratona..........5hora31minutos10segundos!!!

Algumas observacoes mais especificas sobre a minha maratona.
Este foi o tempo que permaneci correndo - nao e muito facil se imaginar, no minimo trotando, por tanto tempo. Minha preocupacao primeira foi, claro, conseguir cruzar a linha de chegada e a segunda de nao caminhar em nenhum momento. Houveram interrupcöes sim, somente para pegar e beber agua.
Como ja foi dito estava um tempo muito seco ainda que fresco no inicio e com isso o consumo de agua, principalmente na segunda metade, foi intenso, em torno de dois copinhos em cada ponto de abastecimento. Em corrida de 10km tomo agua apenas uma vez, aqui a partir do 20km era a cada 2 ou 3 kms, isto evidentemente influenciou tambem no tempo que permaneci correndo.
Nos primeiros kms eh uma tentacao querer ir mais rapido de que sua meta (no meu caso entre 6h30 e 7 minutos por km), principalmente quando pasa por voce, pessoas que voce acha que estao, por algum motivo, em piores condicoes mas sabendo disso me controlei bem pois sabia que poderia me faltar no final.
Entre os kms 28 e 29 quando comeca a aproximar o delirio dos 30kms uma banda brasileira deu um gaz novo, acho que darah pra ver no registo do gps (pelo menos por alguns segundos). Notei poucos grupos de musica alema, uns 4 ou 5 e brasileiro haviam 3, sendo so gregos com seu sertaki aquele que mais envolve e faz tentar harmonisar a pssada com o seu ritmo!
Chegar aso 30kms eh uma gloria, aos 32kms pensei comigo mesmo agora soh falta uma "Integracao" e pronto terei terminado! Precisamos, gentilemente, enganar a mente, do contrario eh dificil chegar.
Depois dos 30kms passei a tomar agua em todos os pontos.
Berlim tem muito ainda a ser construido ou reconstruido, pelo que pude observar, principalmente no ultimo trecho da maratona que passa pela antiga RDA-Alemanha Oriental.
Alguns brasileiros e mesmo nao brasileiros ficaram felizes e se manifestaram ao ver a nossa bandeira.
Ainda ha alguns kms do Portal de Brandenburg pensava que fosse vibrar muito na sua passagem, cheia de historia e um simbolo emocionante mas confesso que o cansaco era muito e assim transpuz aquela passagem no limite de tudo e logo veio a chegada, o que eh a melhor coisa depois da saida.

Berlin - Mitte 25.09.2009

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Minha Primeira Maratona.......Ganhei!

Ganhei...
do cigarro, da depressao, do stress, da preguica, do mau humor, do consaco, da inseguranca, da fraqueza, da baixa estima, da desconfianca, do desanimo, do desconforto, da falta de perspectiva, da ansiedade

Aprendi...
a tolerancia, a harmonia, a esperar, a valorisar as pessoas importantes, a tolerar o desconforto, a me proteger, a me cuidar, a curtir as pequenas coisas, a buscar o que realmente importa, a planejar melhor, a seguir metas, a ajudar a quem necessita

Consegui...
ultrapassar os meus limites, sair de minha zona de conforto, me desafiar, buscar novos horizontes, querer mais para a minha vida, oferecer mais para os que me sao caros

Rathaus Spandau - Berlin 21.09.2009

sábado, 19 de setembro de 2009

Maratona de Berlim ....correcao numero de peito

A organizacao alterou o meu numero, vejam os dados abaixo:
EVENTS
List of participants
Bib Name Team Year Event
33352 Avila Neto, Wenceslau Cuca Fortitech 1949 42,195 km Lauf


Berlin, 19.09.2009

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Maratona de Berlim...Berlin Vittal


Antes da maratona acontece uma feira, onde se retira os numeros de peito. Ela acontece no aeroporto mais central de Berlim, Tempenholf. Tem a dimensao da maratona...enorme. Ansioso por colcoar a mao no 33332 que carregarei no peito por 42km195m. Depois foi a vez de pegar o chip (como sao ageis). Depois sim fui ver tudo que estava exposto: tudo que se pode imaginar relacionado com corrida, de Gps a tenis, muitos tenis. Tive que recusar muita cerveja de graca em razao do pequeno resfriado, jah os isotonicos nao. Muitos brasileiros, principalmente no stand da Adidas, patrocinadora do evento, onde se compra as roupas oficiais da maratona. Precos razoaves achei: menos de 90 reais uma camiseta da Real 36a. Berlin Marathon. Como irei retornar a Berlim dentro de uma semana, com minha familia, por mais 4 dias, posso me dar ao luxo de consagrar o sabado soh para me repousar e me concentrar na corrida. Um pensamento sincero, jah, de agradecimento a todos os que me ajudaram a estar ateh aqui.
De Berlin, 18.9.09
W. Avila

Renascer para uma vida melhor
www.i-coaching.com.br

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Maratona de Berlim....Ja em Berlim


Um dia depois da chegada a cidade da maratona, sai para a primeira vez e fui conhecer o local da largada que fica a poucos metros do historico Brandenburg Tor, que eh o portal que fazia parte do Muro de Berlim. Os operarios jah estao montando as arquibancadas por onde iremos correr no domingo. O local eh grandioso e impressionante. Hoje com poucos turistas e mesmo assim eh emocionante estar aqui agora. Uma tarde de quase outono, com um sol claro e ameno. Aqui tudo parece amplo e bem arrumado. Berlim renasceu varias vezes pela sua longa historia. O ultimo grande nascimento foi ha 20 anos com a queda do Muro. Transpor este portal impressionante era impensavel ha tao pouco tempo. Muitos corredores tiveram lagrimas quando ultrapassaram este portal pela primeira vez na Maratona de 1990, a primeira vey com corredores das duas Alemanhas que acabava de se transformar em apenas uma.
Agora alguns poucos correm no parque ao lado do Brandenburg Tor.
Amanha, 18, vou me repousar, pois ha dois dias que estou gastando muita energia e no sabado terei que ir ateh a feira da maratona para entre outras coisa retirar o kit.


W. Avila
Berlin - 17.9.09 -19h46

domingo, 13 de setembro de 2009

Maratona de Berlim...o último longo

Há uma semana da maratona realizei hoje meu ultimo treino, que chamei de “longuinho” pois durou apenas 2 horas. Pra quem já correu 4 horas, correr 2 horas, é mais ou menos como ir ao supermercado! Lembram-se da expressão “empurrar os próprios limites”? É um pouco isso. Comecei no Parque Taquaral e depois segui para a Fazenda Santa Elisa – IAC. O único compromisso nesse treino era permanecer 2 horas em atividade, sem importar muito o percurso e nem mesmo o ritmo.

Na ultima sexta feira realizei, na FEF (Faculdade de Educação Física da UNICAMP) meu ultimo treino de ritmo. Penoso! 40 voltas, sozinho, em torno do campo de futebol! A cada 10 voltas ao ritmo de 6 minutos por km, fazia 2 minutos ativos(trotando) e um total de 4 séries. Foram ao todo 112 minutos de treino. Quando comecei haviam vários alunos tendo aulas ou treinando e no final, quase 2 horas depois, restavam eu e mais uma pessoa no campo. Foram 16 kms dando voltas, além daquelas de aquecimento e de relaxamento.

Aqui na fazenda do IAC é bem diferente. Além de ser uma área extensa (já me disseram que estão plantadas aqui mais de 30 espécies de palmeiras, entre uma infinidade de outros cultivares) o ar, a paisagem – tudo muito calmo. Me sinto quase desfilando entre árvores, lagos e caminhos sombreados. Estou sozinho hoje – oportunidade para viajar um pouco no tempo e no espaço e assim poder repassar esta trajetória que consumiu muitas horas de meus últimos meses. Em 31 de maio, logo após os 25kms corridos na Maratona Internacional de São Paulo, comecei de fato a me preparar para esta maratona. De lá para cá foram mais de 500kms de treino, perto de 30 horas de academia, visando unicamente o reforço muscular, entre muitos outros cuidados, como alimentação, etc. Agora estou na reta final para encarar a minha primeira maratona. Tranqüilo, sem ansiedade, consciente de minhas limitações, sigo em frente, feliz pelo que já consegui fazer e sereno nas minhas expectativas.

Desde que aprendi que o “percurso é mais importante que o destino” muitas pedras foram saindo de meu caminho, fazendo de cada passo dado uma pequena vitória, em busca de um objetivo maior que, de um certo modo, ajuda a construir a minha realização pessoal.
Embarco terça-feira, dia 15/09

Boa semana a todos

W. Avila

Renascer para uma vida melhor
www.i-coaching.com.br

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Maratona de Berlim.........Numero de Peito 33332!


Olhem aí o mapa da Maratona.
Clique sobre o mapa para aumentar.

domingo, 6 de setembro de 2009

Maratona de Berlim ......o universo conspira?


Quando você tem um propósito e acredita nele com toda a sua essência, todo o universo conspira a seu favor, disse Paulo Coelho.

Domingo, cinco da manhã, de pé. Treino combinado com os amigos Paulo e Daniel para as sete horas da manhã. Tive tempo de tomar um bom café da manhã e assim poder tomar os meus carboidratos sem problemas de estômago.

Lá pelas seis horas uma chuva fina começa a cair. Pouco depois trovões. E aí como fica? Mesmo assim, às 6h45 estava no portão do Taquaral, totalmente vazio. Paulo é o primeiro a chegar e depois o Daniel. A chuva aumenta e, enquanto aguardamos, aproveitamos para calibrar os nossos GPS.
Na primeira aragem, quando já são sete e trinta, decidimos sair para correr; só mudando o roteiro: ao invés da fazenda do IAC(Inst. Agronômico de Campinas) vamos começar correndo, por fora do parque, se continuar melhorando, completamos por dentro.
Temperatura amena, sem sol e sem chuva: ideal para um treino desse porte. Hoje o previsto são duas horas e trinta minutos, com velocidade de 6´30´´/1000mts, pouco importando a distância.
Foram duas voltas externas ao parque, com Arautos, piso de asfalto e depois cinco voltas no interior, piso de terra/areia, para completar os 25km. com o tempo de 2h40´.
Mais uma etapa: objetivo atingido. O GPS acusa 1944 calorias consumidas! Não choveu.
Às 10h35 já estava em casa cuidando, com delicadeza, das partes mais sensíveis e frágeis: joelho, calcanhar e planta do pé esquerdo, com aplicação de gelo. Muito bom poder colocar as pernas um pouco acima do tronco em minha varanda.
A chuva, até então ausente, desaba. Tivemos o tempo que precisamos para realizar a nossa tarefa sem chuvas, será que alguém avisou aos deuses da chuva que precisaríamos de 2h40 sem chuva?
Flocos de nuvens claras passam rapidamente, no quarto de céu que posso observar daqui. Curioso como os filtros perceptivos parecem ficar mais aguçados: o vermelho vivo dos hibiscos lá na beira do muro parece estar mais forte ainda e na divisória de madeira do fundo, dois minúsculos passarinhos cantam com uma força maior que eles! A chuva desce mansa, mas intensa, pipocando sobre a pedra mineira. Mais ao longe, apesar da chuva, outros pássaros se divertem ruidosamente.
Este é o estado do pós-esforço. Ok, alguns atribuem às endorfinas liberadas: as cores ficam mais intensas, os sons, mais distintos, viram musicas nos ouvidos, uma espécie de fluxo segue como que percorrendo todas as veias e deixando um rastro de harmonia e bem estar!
Agora são apenas mais duas semanas para o Grande evento: domingo 20 de setembro, na única cidade que por décadas pertenceu ao leste (comunista) e ao oeste (capitalista) – Berlim – vou poder utilizar tudo que aprendi e treinei nestas muitas horas de esforço, dedicação, convívio com pessoas admiráveis e sobretudo, um enorme prazer em poder ir além daquilo que eu considerava os meus verdadeiros limites.
Aos 20 anos eu não imaginava que pudesse correr, aos 30 pensava que correr era coisa de quem não tinha o que fazer, aos 40 pensava que jamais correria 10km, aos 50 que caminhar bastaria e aos 60 vejo que, tudo que eu me propuser a fazer, eu posso. Basta estabelecer como um propósito e acreditar nele. Está feito.
Bom feriado e boa semana.
Renascer para uma vida melhor

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Maratona de Berlim - Um treino de 4 horas!


LONGÃO - o ultimo da série!



Neste 30 de agosto realizei meu ultimo “longão”. “Longão” é o treino que se faz para habituar o corpo a permanecer um tempo longo em movimento. O Da Silva me “receitou” 4 horas de duração para esse treino, com a expectativa de correr em torno de 36km. Importante lembrar que neste tipo de treino mais importante do que a distância percorrida conta a sua duração.

Convidei dois grandes amigos e maratonistas para me acompanhar neste dia, Alberto e Daniel. Sem eles jamais teria conseguido realizá-lo, pelo menos como eu realizei. O Daniel, gentilmente, com competência e sobretudo como um severíssimo técnico(coach), se encarregou de monitorar o meu ritmo: 6 minutos e trinta por 1km. Confesso que não consegui manter este ritmo, principalmente nos últimos 10kms, o que o fez voltar com muita freqüência e me chamar, com ar severo, para entrar no “seu” ritmo.

Eram 6 horas da manhã desse domingo quando já estávamos nos alongando no Parque Taquaral. Depois saímos pela parte interna do parque e fizemos uma longa volta por terra, grama e paralelepípedo, além do bosquinho, pra captar um pouco de frescor e de oxigênio. Só aí já foram perto de 6kms. A seguir o trecho da Arautos com seu oito, seguindo por fora do parque e em seguida em direção à Fazenda do IAC (Instituto Agronômico de Campinas), entre o Tapetão e a Estrada dos Amarais. Um dos melhores e mais práticos lugares para esse tipo de atividade. Pela parte interna da fazenda fomos seguindo praticamente o seu perímetro, entre um pouco de asfalto, grama, muita terra, trechos cobertos de folhas de árvores e capim. Uma variedade enorme de tipos de pisos, além de um pouco de sombra e locais para conseguir água. Terminada a volta da fazenda ainda fizemos mais uns 5km por lá, para sobrar menos tempo de treino, para a região do parque do Taquaral, onde o sol certamente estaria bem menos clemente.

Retornando ao parque, fizemos o mesmo caminho de ida, pela Arautos e os 20 minutos que ainda faltavam, foram consumidos, a duríssimas penas, com uma volta pela pista interna do parque. 4 horas e 49 segundos foi quando atingimos o ponto de partida, que quando iniciamos(6 horas da manhã) só haviam uns “gatos pingados” e agora, pouco mais de 10 horas da manhã, um mar de gente.

Correr é muito bom, porque melhor ainda é chegar.

Antes doía a sola do pé, o calcanhar, os joelhos, os cotovelos, panturilha, etc. mas a alegria da chegada, um potentíssimo anestésico, tem o poder de fazer dessas dores uma quase curtição. Foi nesse momento que tive a consciência, nítida, cristalina, de que irei conseguir concluir a minha primeira maratona. Todos os meus pontos fracos, joelho, calcanhar, sola do pé esquerdo, se manifestaram durante esse treino, mas de maneira decente, o que me dá a plena convicção de que eu tenho os fundamentos para encarar o desafio da maratona: 42km e 195mts e algo como 5 horas de tempo!

Foi para ter essa resposta que fiz tudo isso, com a ajuda imprescindível de meus dois amigos, a quem agradeço de coração!


Renascer para uma vida melhor
WWW.i-coaching.com.br

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Maratona de Berlim - Os benefícios


Benefícios inquestionáveis da corrida:
- disciplina - respeito de horários quando os treinos são em grupo, respeito do compromisso consigo mesmo quando existem objetivos ou metas a serem atingidos.
-alimentação mais saudável - maior atenção na ingestão de alimentos, sabendo-se das implicações tanto no aumento de peso quanto do conforto durante um treino ou corrida.

-disposição – no trabalho e nas demais atividades do cotidiano, com um corpo exercitado a disposição é muito maior para qualquer tarefa.

-saúde – enumerando apenas os mais evidentes:
-melhoria na circulação sangüínea fazendo com que o sangue chegue até as extremidades (mais remotas).
-oxigenação de todo o organismo, inclusive do sistema linfático e com isso a eliminação das toxinas.
-reforço ( enrigecimento ) dos sistemas muscular e ósseo retardando ou mesmo eliminando a flacidez e a osteoporose, até mesmo quando se avança na idade.
-etc.

-perda de peso – a principal razão é a perda de calorias mas existem inúmeras outras razões que levam a isso, como por exemplo o fato de se passar a dar mais atenção ao corpo.

-injeção de ânimo – algumas razões:
-aumento da estima pessoal, em razão de pequenas vitorias sobre si mesmo, a cada dia.
-bem estar resultante das reações que o exercício provoca no corpo e na mente, com a liberação de endorfinas e outras substâncias.
-maior conhecimento do próprio corpo como resultado da maior atenção, principalmente naquelas partes das quais depende um bom desempenho, como pernas, pés, panturrilha, braços, musculatura, etc.

-os iguais se atraem (quem disse que os opostos se atraem? - a água dos rios, por acaso, corre para o deserto? Ou para o oceano?) - formam-se as tribos daqueles que prezam pelo bem estar,pel a saúde, pelas comemorações e com o tempo os grandes eventos: São Silvestre, maratonas, blogs, comunidades etc.

Renascer para uma vida melhor
WWW.i-coaching.com.br

domingo, 23 de agosto de 2009

Maratona de Berlim...milagres da corrida!




Vamos chamar de pequenos milagres dos esportes em geral e da corrida em particular. Seguem algumas dicas, não conselhos. Dicas de ações que funcionaram pra mim e que, pelo fato de sermos da mesma espécie e raça (além de partilharmos da mesma paixão, correr), tudo leva a pensar que irá funcionar pra você tambem.

Uma escola de vida

Começo com uma bela história ou melhor com a historia de um homem, Kurt Hahn. Esse educador alemão, que passou a maior parte da sua vida na Inglaterra, observou que na volta dos navios de guerra (Segunda Guerra Mundial) eram sempre os soldados mais jovens que não voltavam vivos. Ele deduziu que, pela pouca experiência, eram os primeiros que desistiam de lutar e...de viver! Nascia a "Outward Bound" cuja primeira sede foi no estuário do Dovey, no Pais de Gales, na cidade de Aberdovey, com a sua "Sea School", onde tive a grata satisfação de estagiar por 4 dias, em 2001. Hoje são dezenas de centros em todo o mundo(veja video no final-espere carregar) inclusive no Brasil (http://www.obb.org.br/), que pregam "o amor, amor e a curtição da vida, o amor das pessoas e o amor do planeta, onde temos o privilégio de viver". "Abraçar o desafio, ir além da expectativa, aprender com a experiencia, realizar o seu potencial...para si e para um mundo melhor. Desafie-se. Mude o seu mundo". Outward Bound contribui para o desenvolvimento pessoal com o aprendizado "experiencial" em atividades ao ar livre.

Ampliar os seus limites

Na atividade esportiva a pessoa tem a oportunidade de ampliar a sua zona de conforto. Na corrida, aprende-se a tolerar o desconforto que, simbolicamente, ajuda a melhor viver as dificuldades, tanto no ambiente familiar quanto de trabalho.
As "dicas" virão no próximo post.

Renascer para uma vida melhor
www.i-coaching.com.br

Video institucional da Outward Bound - público


quarta-feira, 19 de agosto de 2009

That Piano...............ouça!

James Blunt - Goodbye my lover

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Maratona de Berlim – Porque Berlim?


As cinco maiores maratonas

Por ser a primeira, achei melhor escolher logo a mais “fácil”! Na Maratona de Berlim é onde os recordes normalmente são batidos e por duas razões: a primeira porque o circuito é quase todo plano e segundo as condições meteorológicas costumam ser muito boas, com boa umidade e temperaturas amenas. Posso citar ainda uma outra razão: o glamour de participar de uma das cinco maratonas de maior prestígio no circuito das maratonas no mundo. As outras são: Nova York, Chicago, Londres, Boston e Berlim e compõem o chamado circuito WMM (World Marathon Majors).
Em 1998 um brasileiro (o único até hoje) Ronaldo da Costa, ganhou essa prova, com 2h06’05”e as três últimas foram ganhas pelo recordista mundial, o etíope Haile Gebrselassie, com 2h03’59” na de 2008.
A 36ª edição da Maratona de Berlim será realizada no dia 20 de setembro, pelas principais ruas e avenidas da capital alemã. Em 2008 o evento contou com participação de 40 mil atletas, oriundos de 107 países e teve vitória feminina de Irina Miktenko, com o tempo de 2h19min18.
A Maratona de Berlim contempla o campeão com o prêmio de 500 mil dólares.

Um pouco de história

Em seus 36 anos de existência, a Maratona de Berlim se confunde com a história das corridas de rua, já que em 1974, data de sua primeira edição, 286 atletas participaram numa pequena rua próxima ao estádio do clube organizador, o SC Charlottenburg Berlin. Os vencedores na época foram Günter Hallas (2h44min53), que ainda corre a prova nos dias de hoje e Jutta von Haase (3h22min01).
Mais números: um milhão de pessoas é o publico esperado, no meio de mais de 60 grupos musicais, mas não foi sempre assim. No seu inicio os organizadores (Horst Milde e seus amigos do SC Charlottenburg) tiveram que correr atrás de autorizações dos responsáveis pela cidade, americanos, ingleses e franceses. No outono de 1989 a historia mudou com a queda do Muro. Uma nova era começava, promovendo a fraternidade universal entre homens e mulheres, de todas as culturas e de todas as origens, nesse esforço esportivo único que é a maratona. Em 1990 mais de 15 mil atletas pela primeira vez celebraram os ventos de liberdade transpondo, sem medo, o muro da vergonha.

A 36a. Real Berlin Marathon

Hoje a Maratona de Berlim utiliza as largas e planas avenidas, tanto a leste quanto a oeste de Berlim, para chegar a Porta de Brandeburg, símbolo da reunificação alemã. Com uma organização sempre impecável essa corrida atrai um publico numeroso e entusiasta.
No dia 20 de setembro estarei lá, orgulhoso por estar tão perto dos melhores e sobretudo muito feliz por estar lá. Sei que muitos, mas muitos mesmo, por sinal, bem melhores que eu, por “n” razões não poderão estar lá...é em nome deles também que irei fazer o melhor que puder.


Renascer para uma vida melhor


domingo, 16 de agosto de 2009

Maratona de Berlim – Treinamentos com técnica ajudam


Hoje, domingo, foi dia do conhecido “longão”. Às sete da manhã, Paulo, Daniel e eu no Parque Taquaral. Começamos com uma volta interna, que durou perto de 50 minutos, a seguir na parte externa incluindo Arautos e direção a Fazenda Santa Elisa do Instituto Agronômico. No interior da fazenda existem diversos tipos de piso, do asfalto, passa por terra e muita grama. Poucas subidas. Ideal para um “longão”. No retorno, novamente via Arautos, uma ultima volta na parte interna do parque, para completar os 30kms, programados, realizados em pouco mais de 3 horas. Corre-se o “longão” para habituar o corpo a permanecer um longo tempo correndo. Aqui a velocidade não importa muito e nem mesmo a distância.

Valeu o teste
Foi um teste excelente para confirmar que as coisas estão caminhando na boa direção, já que não houve nenhum problema além do cansaço. Joelho, calcanhar e mesmo a planta do pé, reagiram bem, o que significa que o trabalho que está sendo feito em academia está funcionando bem.
Resta agradecer, aos amigos Paulo e Daniel, que gentilmente “madrugaram” neste domingo, para me acompanhar nesse treinamento.
Boa Semana a todos

Renascer para uma vida melhor
www.i-coaching.com.br

sábado, 15 de agosto de 2009

Maratona de Berlim - Importância de objetivos bem formulados


Diferenças Culturais


É sabido que nós sul-americanos, diferentemente do europeu, temos uma certa dificuldade em planejar, em “seguir o livro”, em ter uma agenda. Existem várias teorias para explicar isso. Uma, por exemplo, distingue o “tempo anglo-europeu” do “tempo arábico”, este ultimo englobando, além de países árabes, o sudoeste asiático, etc. Nós, que pertencemos à segunda categoria, vivemos mais no presente. Já os primeiros, que costumam enxergar passado e futuro sobre uma linha à sua frente (da esquerda para a direita), via de regra, conseguem visualizar melhor o futuro e assim fazer planejamentos.


Identificação do objetivo


Como já escrevi anteriormente, identificar e definir um objetivo, é o primeiro passo, para um bom planejamento. Alguns critérios são fundamentais na definição de um objetivo, sem o que, corre-se o risco de se perder durante o processo.
O simples fato de escolher a maratona que irei correr, faz com que diante de todo e qualquer calendário que tenha nas mãos, percebo o olhar se direcionando para a data de 20 de setembro(quando ela irá ocorrer). Assim como Berlim, passa a ter no meu inconsciente, um significado diferente do que teve até agora.


Frase afirmativa


Focar no que se quer e não, no que não se quer, é uma maneira de “enganar a mente”, que não entende a negativa. Não acredita? Você conhece os dez mandamentos, claro. Diga então qual é o nono mandamento*. Em que você pensou?
Quando se fala em foco, fala-se em concentração, em direcionamento de energias. A energia segue o pensamento. Do mesmo modo que com uma simples lente (e a ajuda da luz solar)se consegue provocar fogo em uma folha de papel, tamanha a energia concentrada, quando o objetivo está definido com absoluta precisão, evita-se perda de energia (ruídos) garantindo um resultado mais rápido e mais consistente. Isto é válido para qualquer área: trabalho, esportes, lazer, etc.


O Poder da atração


Por fim existe uma qualidade, que é um verdadeiro “turbinamento” de nossas ações: quando alguém, que tem objetivos, claros e precisos, se coloca em ação, existem duas forças que surgem e que se opõem: uma atrai(como um ímã) tudo que diz respeito ao objetivo e a outra, elimina do caminho, tudo que pode dificultar o avanço em direção ao que se quer. Algumas pessoas têm inclusive uma sensação quase física, cinestésica, desse evento: é um pouco como se aquilo que não faz parte de seu objetivo, ao entrar em contato com sua pele (escorregasse ou ricocheteasse) e repartisse em direção ao espaço. Isso é o resultado do aumento do poder de concentração. Confesso que no meu caso, vivo isso todos os dias ou mesmo várias vezes ao dia. Não constitui exagero afirmar que “respiro” corrida, tamanho o envolvimento com o meu objetivo de correr essa maratona.


Exercer o controle durante o processo


Outro critério mencionado, diz respeito ao grau de controle da situação. Imagine que um gerente coloque como objetivo atingir certo volume de vendas, desde que a sua chefia lhe dê apoio. Dificilmente ele terá sucesso, no mínimo porque ele já preparou a desculpa em caso de fracasso! Toda corrida de rua, acontece “na rua”, portanto sujeita às intempéries, o que é algo que foge ao nosso controle. Assim, para compensar, os treinamentos acontecem com qualquer tipo de tempo.
Outra etapa é a busca por recursos, no seu sentido mais amplo, que compreende pessoas, modelos, estudos, tempo, equipamentos, etc. A distribuição desses recursos, levando-se em conta a duração do projeto, é de suma importância. Planilhas de corrida, treinamentos diversificados, ajuda de outras pessoas como familiares, viagens, etc.
Um objetivo bem formulado discrimina as etapas de sua execução com metas intermediárias, também chamadas de metas de processo, onde os passos se sucedem de tal modo que se saiba, a todo instante, se está havendo progresso ou não. Nenhum piloto coloca a aeronave no piloto automático e a esquece; pelo contrário precisa sempre haver correções, adaptações, que fazem com que se possa chegar com precisão ao destino.


A Ecologia do objetivo


Por fim e não menos importante, é necessário verificar aquilo que se chama de “ecologia” do objetivo. Quando se assume o compromisso de realizar algo é comum ter que fazer opções que implicam em renuncias. Existe o que poderia ser chamado de efeitos secundários. Se trabalhar 12 horas por dia, para ganhar muito dinheiro e dar mais conforto à família, em um primeiro momento parece elogiável, quando se analisa sob o ponto de vista da ecologia pode ser um desastre: se para ficar essas 12 horas trabalhando, o pai só vê os filhos nos finais de semana, por exemplo. Certamente não é a esse preço que os filhos desejam mais conforto! Para uma maratona a preparação é sempre longa, desgastante, exige muita dedicação e um equilíbrio bastante severo. Felizmente existem mais efeitos secundários positivos de que negativos, como um equilíbrio alimentar por exemplo.
No momento me encontro, posso dizer, na reta final, com quatro treinos e três dias de academia, por semana. Faltam exatos 35 dias para o corredor de número 33352(quardem bem!), possivelmente, com uma bandeirinha do Brasil, logo abaixo, na Strasse des 17. Juni.


List of participants
Bib Name Team Year Event
33352 Avila Neto, Wenceslau Cuca Fortitech 1949 42,195 km Lauf




*Não desejar a mulher do próximo. É certo que, se no tempo de Moisés existisse o movimento feminista, esse mandamento teria sido mais abrangente!


Renascer para uma vida melhor


www.i-coaching.com.br

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Maratona de Berlim – Susto sim, Pânico jamais!

Quem ama, não judia!

Você confiaria o seu joelho a um residente, em um sábado de manhã?
Não, não confiei, preferi uma solução mais conservadora!
Explico melhor. No final da tarde da sexta feira meu pé esquerdo doía muito. À noite perdi o sono: o artelho menor do pé esquerdo estava tão enrijecido que parecia que ia quebrar. Não dormi: vi meu sonho de fazer a minha entrada para o grupo dos maratonistas se desfazer como um castelo de areia, que se desmancha na chuva, tal qual uma árvore no final do outono, folha por folha, até não sobrar mais nada ou ainda, um boneco de gelo, em pleno sol de meio dia!
Nos quinze dias anteriores havia feito em torno de 100km de treino, além dos exercícios na academia, três vezes por semana. E mais: comecei a usar um tênis novo havia menos de dez dias. Resultado: o nervo do artelho mencionado simplesmente não resistiu, pediu arrego!


O Valor da confiança


Que alívio ouvir do meu treinador-coach (e salvador), Da Silva, lá pelas 12 horas do sábado a frase milagrosa: - faça exatamente isso e na terça feira você estará correndo novamente! Mudou o meu astral e salvou o meu final de semana.
Na tal terça feira já corri os 50 minutos como consta em meu planejamento e hoje, quarta feira, fiz os exercícios normalmente na academia.
Lição I: é muito provável que, no sábado, se tivesse recorrido a um ortopedista, na melhor das hipóteses, teria saído do consultório com um pedido de RX e não com uma solução tranqüilizadora para o meu caso.
Lição II: as soluções caseiras ainda não deram a sua ultima palavra. Será que darão um dia?

Renascer para um mundo melhor
WWW.i-coaching.com.br

sábado, 8 de agosto de 2009

Maratona de Berlim - Tributo ao Corredor


Ao entrar às pressas de um treino, o pai se depara com o pimpolho de três anos. Vendo-o, suando por todos os poros, o garoto pergunta ao pai: - Pai, porque quando você corre você fica tão suado e do trabalho, que você demora muito mais, não fica? A esposa que estava por perto e que não é lá muito solidária com a paixão do marido arremata: - as corridas pagam bem mais do que o trabalho!
Vamos deixar no ar a resposta do pai.
Correr é sem dúvida uma opção e, difícil é parar, depois que tiver começado. As razões para correr são inúmeras. Já vi inclusive uma lista de 42 razões para se correr uma maratona: uma para cada quilômetro!


Vencedor do inútil


Com o tempo, o corredor se transforma em um herói, pelo menos para ele mesmo. Um herói solitário, vencedor do inútil, que preza muito o seu coração fiel, afinal são no mínimo 35 mil batimentos, em uma única maratona!
Corredor é um narcisista incorrigível, para quem o próprio corpo é uma fonte inesgotável de prazer e por isso ele venera cada membro, cada músculo ou a menor de suas veias. O corredor quase sempre sabe conversar com seu corpo. Essa viagem para dentro de si, começa já nos primeiros treinos, nas primeiras dores, nas primeiras câimbras - é quando ele toma conhecimento do emaranhado de “peças” que compõe a sua “máquina”. E essas “peças” costumam doer. Cada uma tem o seu momento. No início isso é mais perceptível.
Correr 40 kms é muito mais do que dar 40 mil passadas, é orquestrar e coordenar o trabalho de milhares de órgãos, membros, ossos, vértebras, afugentar as dores, a sede, distrair a mente para que ela continue a tocar a musica que faça vibrar em uníssono todas as energias em busca do resultado: chegar bem!


Felicidade x Bem estar


Pode parecer paradoxal mas o que o corredor busca, é o bem estar. Bem estar não é a mesma coisa que felicidade, felicidade nunca acaba, mas também nunca chega, já o bem estar você sente quando nada mais incomoda, nem perturba, ele acontece quando se deixa de querer algo diferente daquilo que se tem naquele exato momento. Um fluir que se encontra entre a escala do prazer do relaxamento e a energia do êxtase. Ele evolui no mesmo ritmo em que busca o oxigênio, flui como se respira. O corredor, no auge da comunhão entre corpo e mente, se sente cavalgando aquela onda que nunca quebra, como se encontrasse a nota perfeita na plasticidade da passada que o faz avançar. Quando ele atinge esse estado, o tempo, que é algo externo, não lhe interessa, uma vez que ele só tem olhos para o que acontece durante a sua viagem interior. Assim, o corredor é também um místico, no sentido de, ao transcender, ele promove a união pessoal com o seu Ser superior.
A expressão de dor no rosto do corredor já não é mais sofrimento e sim sinal de superação! Como o poeta “ele finge que não é dor, a dor que deveras sente”.


Renascer para uma vida melhor
www.i-coaching.com.br

Maratona de Berlim: a gripe está instalada, e agora?


Alguns corredores, mesmo sem estarem 100%, ainda continuam com seus treinamentos. Pela primeira vez me deparei com essa situação. Sem perder de vista meu objetivo maior, deduzi que a minha decisão de praticar esse esporte foi puramente pelo prazer de correr. Assim, existiria uma certa, digamos, incongruência em me forçar a correr quando o corpo só pede cama. Antes de decidir, ainda fui além, uma vez que entendo que essa decisão pode parecer muito fácil e colocar em perigo outras situações no futuro. Recorri a um dos muitos pressupostos que utilizamos na PNL (Programação Neuro-Linguistica) que diz “mais do que o que nos acontece, importa o que fazemos com o que nos acontece”. Pronto.

Quando a cura vem de dentro

O que posso fazer com o que está me acontecendo neste instante? Em primeiro lugar comecei a observar os fenômenos que ocorrem comigo. O corpo dispõe de defesas que o protege das doenças. Fico então imaginando o combate ferrenho que se trava, neste momento, entre as células boas e as células más. O meu Quartel General, o cérebro, deve estar extremamente comprometido com todos os acontecimentos em seu território: montando estratégias, distribuindo funções e recebendo os feedbacks. Começo a entender que sobrecarregá-lo com mais uma incumbência que o esforço exige, seria desviá-lo de funções mais urgentes e importantes: a minha sobrevivência. Pelo contrário vou me dedicar a auxiliá-lo em sua luta, tomando bastante líquidos, comendo frutas ou seja, fornecendo a energia necessária para este enfretamento de vida ou morte. Morte é quando as células boas perdem a batalha e neste caso a batalha é também a guerra!

Cuide bem de seu corpo nos primeiros 50 anos, que ele cuidará bem de você nos outros 50!

Basta entender este raciocínio para compreender a importância de ter um corpo forte e equilibrado. Muitos, nessas ocasiões fazem uso de medicamentos. Em condições normais, não é o meu caso, uma vez que o medicamento, além de atacar apenas a causa, funciona enquanto ele estiver no organismo.
Bom senso, equilíbrio, conhecimento e respeito de si próprio. É tudo muito simples, basta lançar o olhar para dentro de si e atender o que o corpo pede.

Muito em breve retornarei aos treinamentos.

Renascer para uma vida melhor
WWW.i-coaching.com.br

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Maratona de Berlim: Plano de Ação – Introdução


O grau de importância de um projeto, mais do que seu tamanho, é o que define a necessidade de um planejamento mais ou menos elaborado. Os projetos pessoais não fogem a essa regra.
No Plano de Ação estarão descritas as etapas a serem seguidas, até que se atinja o objetivo final do projeto, como em qualquer outro ambiente, seja ele, corporativo, familiar ou pessoal. No meu caso trata-se, antes de tudo da confluência de várias etapas percorridas até agora e que, muito gostaria de ver coroadas com o sucesso desse empreendimento.
Correr essa maratona será o melhor presente que poderei me oferecer, ao completar seis décadas, uma idade onde muita coisa muda, até mesmo a minha posição nas filas de atendimento ou nos custos de inscrição para corridas! Afinal agora já sou um protegido do “estatuto” do....idoso!
Um Plano de Ação compreende em primeiro lugar a identificação do objetivo a ser alcançado. Nesta caso, participar de uma maratona. Ele precisa, em primeiro lugar, ser formulado de maneira afirmativa: “eu vou participar da Maratona de Berlim, edição 2009”. A seguir, é fundamental que eu defina de maneira muita clara aquilo que eu me proponho a fazer, como por exemplo: “correr e concluir a Maratona de Berlim, edição 2009, em até 4h40”. Outra etapa fundamental, na escolha do objetivo é saber se aquilo que proponho fazer está inteiramente sob o meu controle, além de definir os recursos de que irei necessitar. Falta ainda definir as normas que me permitam saber se estou progredindo ou não e por fim preciso levar em conta a ecologia do meu projeto ou seja qual o custo do empreendimento para a minha pessoa e para as demais com quem me relaciono.
Observadas essas etapas meu projeto tem mais chance de ser bem sucedido.
Por ser um assunto instigante e de grande utilidade, em muitos outros campos, inclusive profissional, vou ter a oportunidade de explicar melhor cada uma dessas etapas nas próximas páginas.
Cordial abraço.
“Renascer para uma vida melhor”

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Maratona de Berlim - A Meta

Dizer de maneira afirmativa o que se quer é um importante passo para o sucesso do que se propõe a fazer. Em meu projeto de correr a 36a. Maratona de Berlim, na Alemanha, houve um momento, cuja localização no tempo não é muito precisa, em que eu verbalisei ou elaborei em minha mente a idéia de participar desse evento esportivo.
Para ter certeza disso eu falei para mim mesmo: eu vou correr a 36a. Maratona de Berlim. Desde então o que fiz foi abrir meus olhos para tudo, no meu cotidiano, que se relacionasse com a minha meta. Toda a minha energia passou a ser concentrada naquilo que pretendo realizar, que é correr uma maratona.
Certo dessa insubstituivel contribuição, para a realização de meu projeto, que é o foco, eu vou agora dar mais vida, colocar cores e outros atrativos, na imagem da minha pessoa atingindo esse objetivo. Quanto maior for a intensidade e a atratividade desse foco, maior será a minha motivação para o seu atingimento, a tal ponto que começo a ver tudo à minha frente, exclusivamente em função dele.
Sinto que isto já está acontecendo uma vez que nas mais simples atividades de meu cotidiano, até mesmo sentado à mesa, para uma refeição, não raro me vejo me perguntado se aquilo que vou comer servirá de algum modo para o meu objetivo.
Como é bom acordar, em um domingo às 7 horas da manhã, para ir correr um "longão" ( corrida moderada de no mínimo uma hora de duração) por saber que estarei exercitando a minha capacidade de tolerar longos periodos de esforço em uma pista.
Afirmar o que se quer e acreditar no que está sendo dito é, no mínimo 50%, de garantia de se poder chegar lá. Um ponto de vista muito pessoal, que tem me ajudado a conseguir o que quero.
Tenho plena consciencia de que não existem atalhos para os lugares onde vale a pena ir, então optei por viver intensamente cada instante da busca pelo meu objetivo.
Sempre quando retorno de um evento esportivo me perguntam se ganhei e invariavelmente minha resposta é sempre afirmativa, porque ao concluir uma corrida, mais importante ainda de que atingir o objetivo, importa-me o que eu me torno atingindo esse mesmo objetivo.
Renascer para uma vida melhor
www.i-coaching.com.br

sexta-feira, 31 de julho de 2009

O que se conhecia do Brasil...

Houve um tempo em que as duas coisas que se conhecia do Brasil tinha a mesma cor e rimavam: Pelé e café!
20 anos após o término da Segunda Grande Guerra, a de 39/45, eu desembarquei na França. Os franceses que iam me receber, esperavam ver, na chegada, um cara, de grande chapeu (como os gauchos) e/ou escurinho (como Pelé). A decepção (deles) foi ainda maior quando me pediram pra fazer parte do time de futebol da escola. No primeiro dia fui escolhido em primeiro! Isto nunca, nunca mais aconteceu! Que responsabilidade. Pelé estava no auge, ainda não havia acontecido a Copa de 1966 (que vexame do Brasil!).
No verão daquele mesmo ano a felicidade foi total: atravessar os Pirineus com uma bicicleta de 3 marchas. Haviam subidas de até 20kms e no alto um "Malaga"(o vinho) em garrafão de 5 litros, que só podia ser degustado segurando o mesmo com uma mão e fazendo o jato cair diretamente na boca!
Um verão escaldante, apesar das altitudes. Vinho quente, esforço próximo da exaustão, e lugares maravilhosos: Andorra la Vieja, Catalunia, Barcelona: 600kms de estradas e de paisagens deslumbrantes, que acabaram nas águas cálidas do mar da Cuesta del Sol! O azul mediterrâneo.
Havia sido plantada a semente da curiosidade para os grandes espaços, as cores intensas dos entardeceres exoticos. Um misto de história(Andorra), paisagens (Pirineus) e uma mistura pesada de vermelho sangue e paso doble (Plaza del toro), nas tardes dominicais das corridas(touradas).
Como aconchegar depois este espírito fervilhante de imagens de cores fortes, hormônios extravasando por todos os poros, em um complexo de prédios vetustos(o meu colégio interno) e sombrios, moveis centenarios e aulas tremendamente enfadonhas? - Uma abertura sem igual para tudo que era atividade(me salvou do desespero): esportes, leituras, saidas, etc...
Em tempo: naquele mesmo verão de 1966, 15 dias como voluntário na cidade de Lourdes, sul da França, ajudando a carregar doentes em maca, para cumprir suas promessas até a gruta da santa milagrosa, podia não me fazer crescer mais, mas reforçou tremendamente a estrutura do garoto de 16 anos, ainda em formação.
“Renascer para uma vida melhor”
www.i-coaching.com.br

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Quando brota a 1a. semente...

Dificil especificar o momento exato em que nasce uma idéia. Quando nos damos conta ela já existe, já fez parte de nossa experiencia, já é passado. Com 16 anos consegui chegar a 2900 metros de altitude e me lembro bem que fiquei muito orgulhoso pelo feito. Muitos desistiram no caminho. Foi em 1966, o Monte Carlitt, nos Pirineus. Talvez tenha sido plantada aí a inquietante semente da atração pelas montanhas e pelos grandes espaços!
Bicicleta até Barcelona, longas trilhas nos Alpes, nos anos seguintes. Intermináveis anos negros de sedentarismo se seguiram. Com a água já entrando pelas narinas, num raro momento de lucidez, parei e me perguntei: é isto que quero? vou me deixar morrer disso? 1995 - foi o ano dessa parada. Descobri então que existia vida fora dos aeroportos, das logisticas de cargas aéreas, maritimas etc. O Eco-turismo do Senac(pós-graduação) me revelou um mundo vibrante de trilhas, escaladas, montanhas, matas e cachoeiras.
Descobri então que pelo menos 50% de meu ser se encontrava adormecido, em berço esplendido, mas adormecido. Soube até que tinha um cérebro direito, sujeito a emoções, inseguro e vibrante como uma paixão adolescente. Me agarrei desesperadamente àquilo que passaria a ser o centro de minhas viagens interiores: a busca pela emoção, pelo prazer nas pequenas coisas. Já era tempo pois a Eco-92 acabava de jogar um balde de água fria nos desenvolvimentistas a qualquer custo. Preservação e conservação começavam a fazer parte das preocupações, primeiro da sociedade civil e depois dos governantes.
No centro de tudo isso está a busca pela qualidade de vida e foi aqui que a corrida cruzou o meu caminho. Tênis, squash, natação, não passaram de tentativas frustradas e muitas vezes caras. Demorei entender que um simples par de tênis era o suficiente para começar e me apaixonar pelo esporte mais completo e mais acessível que existe: a corrida!
“Renascer para uma vida melhor”
www.i-coaching.com.br

quarta-feira, 29 de julho de 2009

A Minha Primeira Maratona - Berlim 2009

Correr uma maratona não é algo que acontece da noite para o dia. Do mesmo modo que ninguém começa correndo na Formula Um, para chegar à Maratona o caminho costuma ser longo.
Todo corredor de kart sonha um dia com a Formula Um e o corredor de rua sonha com o desafio da Maratona.
Comigo não foi diferente.
Há alguns anos comecei a correr e, por não ter um objetivo claro na minha cabeça, a tentativa durou pouco.
Tempos depois quando decidi que era hora de deixar de lado os 30 cigarros que fumava todos os dias, quiz fazer um joguinho comigo mesmo: ao invés de tirar o cigarro, resolvi colocar alguns quilometros, todo dia, no meu "cardápio". Tinha aprendido que nosso cérebro odeia o vazio. Tirar o cigarro seria criar um vazio. O melhor seria substituir o prazer de "dar algumas tragadas" por "dar algumas passadas".
Funcionou.
Mesmo porque é totalmente incompatível correr e fumar!
Ninguém chega impunemente a uma Marotona: nestes mais de 36 meses já houveram muito suor, algumas lesões, muitas alegrias, algumas lagrimas e sobretudo muitos amigos conquistados.
Agora estou aqui, no mês seguinte ao das minhas 6 décadas completadas, sonhando com a linha de chegada, em algum lugar acima do paralelo 52, no Hemisfério Norte, mais exatamente em Berlim.
O homem é mesmo um bicho curioso: o que faz com que alguém saia da cama, em um domingo chuvoso e frio, às 6 horas da manhã e meia hora depois se vê correndo atrás nem ele mesmo sabe de quê? - Certa vez perguntaram a um escalador porque ele escalava montanhas? - Na maior simplicidade ele respondeu: porque a montanha está là!
Por trás dessa frase tão singela se esconde um grande segredo da nossa natureza: nós somos naturalmente atraídos pelo fascínio do desafio. Penso que é na busca permanente desse "sempre um pouco a mais" que reside a capacidade de nossa raça em estar sempre evoluindo.
Correr uma maratona e...chegar, me fará integrar um grupo muito seleto de pessoas que, no mínimo, souberam vencer o cansaço, a dor, e sobretudo tiveram a oportunidade de fazer uma verdadeira viagem interior, nas dezenas e dezenas de horas de intensa introspecção.
Este é o começo excitante de uma bela aventura humana e você está convidado a fazer parte dela, me visitando sempre que puder.
Partir é preciso,
Chegar se possível!
“Renascer para uma vida melhor”
www.i-coaching.com.br